6 de outubro de 2021

Vendas no varejo em Sergipe caem 1,7% em agosto


O volume de vendas do comércio varejista em Sergipe caiu 1,7% em agosto, frente a julho, na série com ajuste sazonal. Em relação ao mesmo período de 2020, houve queda de 9,9%. Na variação acumulada no ano, com base igual período do ano anterior, houve acréscimo de 1,6%. Já o acumulado dos últimos 12 meses registrou aumento de 2,3%. Os dados, com base na Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), foram divulgados hoje (06) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e analisados pelo Observatório de Sergipe.

Em agosto, a receita nominal do varejo em Sergipe também caiu em relação a julho, 0,7%. Na comparação anual, houve alta de 3,9%. A variação acumulada no ano, base igual período do ano anterior, foi de 14,1%; e dos últimos 12 meses, de 12,7%.

📍 Varejo Ampliado 🚙 🏗

No varejo ampliado, que inclui as atividades de veículos e material de construção, o volume de vendas no estado cresceu 1,1% em relação ao mês anterior. Frente a agosto de 2020, o comércio varejista ampliado cresceu 1,7%. O acumulado do ano, base igual período do ano anterior, variou 13,6%; e dos últimos 12 meses, 11,6%.

A receita do varejo ampliado fechou o mês com aumento de 1,4%, em comparação com julho. Já em relação a agosto de 2020, o aumento foi de 13,6%. A variação acumulada no ano, base igual período do ano anterior, foi de 24,4%; e dos 12 meses, de 20,7%.

🇧🇷 Cenário Nacional

Em agosto, o volume de vendas do comércio varejista caiu em 24 das 27 unidades da federação frente ao mês anterior, na série com ajuste sazonal. A maior queda foi pontuada por Rondônia (-19,7%), Paraná (-11,0%) e Mato Grosso (-10,9%). Por outro lado, com resultado positivo, destacaram-se Ceará (2,0%), Maranhão (1,0%) e Roraima (0,3%).

Para a mesma comparação, no comércio varejista ampliado, houve queda em 20 das 27 unidades federativas, com destaque para Amapá (-9,2%), Paraná (-9,0%) e Rondônia (-7,4%). Entre os que tiveram variação positiva, destacaram-se Pará (1,3%), Ceará e Sergipe (1,1%, ambos).

Fonte: PMC – IBGE. Elaboração: Observatório de Sergipe

Publicação completa aqui